Wolfsburg e Lyon decidem o título da Liga dos Campeões Feminina

wolfsburg-v-lyon-_web_002_.jpg

Foto: Divulgação/ Uefa

Wolfsburg e Lyon se enfrentam a partir das 15h deste domingo para decidir quem fica com a taça da Liga dos Campeões Feminina. As duas equipes têm tradição na competição. O Wolfsburg quer o tricampeonato, enquanto o Lyon busca o quinto título seguido e o heptacampeonato.

Siga o Conexão Grenal no Twitter

Pode-se dizer que as francesas são favoritas graças ao histórico recente. Além disso, elas tomaram apenas um gol nesta temporada na UWCL. As alemãs ganharam tudo o que disputaram até agora e prometem dar trabalho as adversárias

O Wolfsburg deve entrar em campo com Abt; Doorsoun-Khajeh, Hendrich, Janssen, Wedemeyer; Popp, Engen; Rolfö, Harder, Huth; Pajor. O técnico Stephan Lerch tem todo o elenco à sua disposição para correr atrás do título.

Já o Lyon começar a partida com Bouhaddi; Bronze, Buchanan, Renard, Bacha; Gunnarsdóttir/, Kumagai; Cascarino, Marozsán, Majri; Taylor. Mbock Bathy (tendão de aquiles ), Hegerberg (joelho), Parris (suspensão) e Silva (tendão de aquiles) estão fora da partida. 

Foto: Divulgação/ Lyon
Foto: Divulgação/ Lyon

Jean-Luc Vasseur, técnico do Lyon, disse em entrevista que apesar das baixas o time está focado e deve ir para a final com a confiança necessária para lutar pela título. Ele espera ainda que Henry possa jogar neste domingo, mas ainda é dúvida. “Não vamos relaxar, não é a atitude que precisamos. Seremos donos do nosso próprio destino e seremos proativos. Mostraremos muito respeito pelo adversário. Não seremos pegos de surpresa. Temos que aproveitar ao máximo nossa capacidade. Mesmo assim esperamos que Amandine Henry possa jogar”. A meia é peça chave na equipe. 

Leia todas as notícias da Champions Legue Feminina 2020

Sthephan Lerch aposta que a final será equilibrada e que as alemãs chegam com igualdade a partida final da competição. “Somos os desafiadores neste jogo se olharmos para o domínio e o sucesso do Lyon nos últimos anos. Mas em um jogo tudo é possível, acreditamos e as condições são diferentes das outras vezes que jogámos contra o Lyon. É por isso que acreditamos que podemos alcançá-las. A Champions League é a maior competição dos clubes europeus, chegamos à final em condições especiais, mas agora queremos tudo. Seria algo muito grande, um sonho tornado realidade”, concluiu, Lerch. 

Sarah Bouhaddi e Wendie Renard disputam a nona final e ambas buscam o sétimo título. Sara Björk Gunnarsdóttir chegou de Wolfsburg no mês passado. Será que a lei da ex também é impiedosa no futebol feminino? 

Deixe uma resposta

voltar ao topo